Como criar mais? Construa sua BIRV: Biblioteca Interna de Referências Visuais

Acredito que todos nós nascemos com um espaço no cérebro reservado pra nossas referências. Tudo que vivenciamos e ficará armazenado, seja sentimento, visão de um Picasso, bilhetinhos escondidos na sala de aula…

O ser humano sendo um animal que conta com sua visão para registrar até 80% das suas percepções diárias, precisa ter um cuidado ainda maior nas suas referências visuais, a que eu chamo, carinhosamente, de BIRV ou Biblioteca Interna de Referenciais Visuais (se foi da minha equipe, deve lembrar de, pelo menos, uma conversa sobre).

Você produz aquilo que tem capacidade

Não é à toa que agência fica o tempo todo fazendo benchmarking. Ou que os grandes artistas fazem imersões em seus objetos de estudo.

Você só é capaz de produzir algo após revisar tudo que acumulou de bom e ruim – sim, até o ruim faz parte do processo.

É muito difícil alguém que nunca leu um HQ produzir uma história em quadrinhos. Existem regras inatas as revistas que o usuário impudicamente decifra, além de códigos próprios que facilitam o Storytelling.

Decifre-me ou te devoro

Não quer errar no visual? Fundo branco, texto em preto, fonte Arial 12, uma imagem e 15 palavras.

Quer errar e, consequentemente, aprender? Vai lá tentar reproduzir o que viu, estudar aquilo, entender onde vai cada coisa, porque…

A minha diversão no museu é tentar adivinhar o que o pintor estava querendo dizer na hora de cada pincelada.

Isso não me fez uma pintora, mas melhorou MUITO minhas apresentações no PowerPoint e artes no Canva.

Flyer de rua? Outdoor? Busdoor? Anúncio do Instagram? Eu imaginando o que faria diferente e “consertando” mentalmente.

Até as minhas planilhas vão melhorando conforme eu vou decifrando mais códigos das referências e entendendo o que querem trazer pro público.

Isso vai te deixar com um sistema mental de coisas possíveis de serem feitas e de como desafiar seu designer pra fazer ainda mais.

Você pinta como eu… faço PPT?

As minhas dicas são:

  • alimente sua biblioteca com tudo, bom ou ruim
  • mantenha ela cheia do que está mais relevante
  • decifre o que vê ao máximo
  • mesmo que não seja designer, use essas dicas

Você nunca sabe quando vai precisar acessar sua BIRV, mas, com essas dicas isso não é mais um problema.

 



Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *