O maior erro que as empresas cometem nas redes sociais

Por mais básico que pareça, por mais simples que seja, por mais óbvio que soe, após 9 anos trabalhando com conteúdo digital, eu te garanto que o maior erro que qualquer marca, pequena ou grande, pode cometer é:

FAZER POR FAZER

Você:
Eu:

Não disse que ia parecer óbvio?

 

Na internet são produzidos 8.190 tweets, 868 fotos são postadas no Instagram e 75.480 vídeos novos spbrem no YouTube…

 

E, durante um dia, o mundo chega a realizar 6.000.998.400 buscas no Google que vão de:

 

 

Ou seja, a imensa quantidade de conteúdo disponível para o usuário só aumenta e a atenção fica pulverizada. Anteriormente uma saída era contar com a verba de mídia para impulsionar a publicação para mais pessoas, mas agora precisamos de um novo SUPER TRUNFO.

 

Qual?

 

_____________________
| Conteúdo           D6τ |
|                                      |
| Força:                    70 |
| Velocidade:          60 |
| Habilidade:           80 |
| Vitórias:              100 |
|_____________________|

 

Com essa carta na sua manga, você vai ter mais controle sobre o território da sua marca, criar um laço memorável com a sua audiência e entender melhor as necessidades do seu público-alvo.

 

Mas, para isso, não adianta se basear em ações de tiro, que estouram sem perenidade, baseada em campanhas momentâneas ou postar de vez em nunca, cada vez que um meme estoure. Você precisa atualizar seu mindset para a lógica de AlwaysOn, criar uma constante nas redes com conteúdos que você possa construir, medir e aprender sobre.

 

Algo muito comum que acontece é ouvir que “a ~minha concorrência~ fez, eu quero fazer também”, pois existe uma lógica de paridade (deu certo pra eles, vai dar certo pra mim)… Mas a realidade é que as duas marcas provavelmente estão falando com pessoas diferentes – e mesmo que sejam as mesmas pessoas, a relação com elas foi construída com mensagem diferentes e, por isso, vão responder a conteúdos diferentes por terem expectativas diferentes.

 

Aí entra o olhar do especialista, que vai arrumar um jeito de fazer funcionar.

 

Ele vai se distanciar do que está acontecendo na sua própria timeline, pois dificilmente nós somos a persona das marcas que trabalhamos, e entender com todos os dados recolhidos do AlwaysOn como fazer esse Big Moment funcionar. O foco é em criar um conteúdo para o target.

 

Lembra do tiro mencionado lá em cima? Então… atirar sem saber onde vai atingir não é privilégio, é esforço desnecessário. Pergunte a uma equipe em burn out e eles vão identificar imediatamente aquele conteúdo que não é urgente, não vai funcionar e/ou perdeu o timming. Não gaste energia fazendo funcionar um trilhão de ações mal planejadas, saiba quando puxar o gatilho do bom conteúdo.

 

Foque onde o dinheiro está e…

FAÇA PRA VALER

 

Mantenha sua base constantemente em conversa com a sua marca pelo AlwaysOn e fique atento às oportunidades que surgem para crescer de forma consciente.

 

Existe uma linha tênue entre o momento de se pronunciar (como #AnittaIsOverParty mostrou) e o momento de aguardar até ter ideia do melhor approach (como o case do Desafio das 100 Camadas ensinou pra internet)

 

Resultado:
Não faça qualquer coisa, mas não deixe de tentar

 




Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *